fotocronografias2

Acaba de sair o dossiê "A arte que mora na cidade: Intervenções Artísticas Urbanas" da revista Fotocronografias, organizado Cornelia Eckert e Yuri Rosa Neves junto a equipe do Banco de Imagens e Efeitos Visuais (BIEV/PPGAS/UFRGS), coordenado por Ana Luiza Carvalho da Rocha e Cornelia Eckert. A revista apresenta ensaios fotográficos com autoria de Ágata Sequeira, Thay Petit, Ronaldo Corrêa, Romanus Dantas, Tempus Fugit, Fabricio Barreto entre outros. A edição da revista conta com o trabalho do corpo técnico de Felipe Rodrigues e Matheus Cervo. 

v. 03, n. 05 (2018): A arte que mora na cidade: intervenções artísticas urbanas
Edição nº 05 — A arte que mora na cidade

"Pixação. Grafitti. Stickers Arts. Stencil. Muralismo. Instalações. Nos últimos anos temos percebido um relativo aumento tanto destas formas de expressão visual na cidade, quanto em pesquisas acadêmicas que buscam entendê-las. Em razão disto, nesta quinta edição da revista Fotocronografias, tivemos o objetivo de reunir ensaios visuais fruto de etnografias em espaços urbanos, procurando, através da produção de imagens e da estilística narrativa, captar esta emergente produção imagética e criativa destas formas de arte na superfície das metrópoles contemporâneas. 

Por meio dos diversos ensaios que recebemos pudemos perceber consonâncias na proliferação de interesses pelas diferentes formas de arte urbana que coexistem nos espaços e remetem a variados significados, intuitos e contextos de produção. Como Ricardo Campos (2010) aponta em “Porque pintamos a cidade? Uma abordagem etnográfica ao graffiti urbano”, são notáveis as referências às combinações de dimensões lúdicas, políticas e estéticas nas pesquisas sobre esta temática. A pixação e o graffiti são parte de modalidades históricas de intervenção e pressupõe diferentes espaços-tempos. A elas associam-se outras formas de saber-fazer-intervir na urbe, como é o caso dos lambe-lambes que aparecem nos ensaios aqui apresentados. Apesar de já ser uma modalidade também histórica, agora começa a ganhar mais espaço nas pesquisas e figurar como modalidade artística."

Para ler mais, acesse: https://medium.com/fotocronografias

fotocronografias